Por Edgar Shinagawa

                 Nosso ultimo artigo trouxe algumas dicas de como iniciar sua jornada para o mundo competitivo do Pokémon TCG, hoje damos continuidade a matéria de semana passada, com mais dicas importantes que todos os jovens treinadores, que pretendem se aventurar neste mundo precisam saber para se tornarem grandes jogadores.

               Se você ainda não leu a matéria de semana passada então clique aqui.  Iniciando a Jornada no Mundo Competitivo

                  Como disse na primeira parte do artigo, jogar e treinar é algo essencial. Saber como usar seu deck e como se comportar contra as diferentes estratégias é a chave para o sucesso. Mas como fazer isso?

ESTUDANDO

              Oak  O primeiro passo você já deve ter dado, que é jogar contra diferentes decks! Assim você vai aprendendo o efeito das cartas mais comuns no metagame assim como os decks do momento. O segundo passo, é ESTUDAR! Sim, estudar! Conhecer a grande maioria das cartas presentes no formato te dá uma vantagem sobre as pessoas que não as conhecem. Abaixo, cito um exemplo onde o conhecimento faz toda a diferença:

                     “Você está jogando uma partida, e seu oponente desce um Eevee no banco. Você sabe que o Eevee pode evoluir para inúmeros Pokémon, mas só conhece o efeito do Flareon, Leafeon e Umbreon, todos da Plasma Freeze (as Eevolutions mais utilizadas). Seu oponente liga uma energia elétrica no Eevee e passa. Você vê que há 7 Pokémon no descarte do oponente (então o Flareon não nocauteará sua Lugia EX) e liga sua última D.C.E na Lugia EX ativa e passa. Seu oponente coloca o Eevee com energia para a posição ativa, evolui para Jolteon(BW-91), liga Silver Bangle e mata sua Lugia EX em um ataque, levando sua última D.C.E para o descarte e vindo a ganhar o jogo nos turnos seguintes.”

                Certamente é uma jogada surpreendedora! Porém, se você tivesse conhecimento desta carta, poderia jogar de forma mais segura, não deixando a Lugia EX ativa e/ou ligando a D.C.E em outro Pokémon e dificultando a vitória do oponente.

   BW91- Jolteon        O ideal é ter conhecimento de todas as cartas. Você pode acessar um database (como o Bulbapedia ou Pokebeach) e verificar todas as cartas que existem no formato. Porém, é quase impossível conhecer todas as cartas mas é importantíssimo conhecer todas as que estão presentes no metagame, assim como reconhecer o potencial de outras e gravar seus efeitos, para que não ocorram surpresas desagradáveis como a exemplificada acima. Muitas vezes, o efeito de uma carta parece ser medíocre, porém em determinadas situações, ela pode acabar decidindo um jogo. Aprenda a avaliar esses efeitos.

           De uma forma geral, fique atento aos ataques que podem causar OHKO em Pokemons EX que estão jogando no formato e/ou causar grande quantidade de dano por pouca energia. Quase sempre essas cartas são não-EX, garantindo uma vantagem absurda se utilizadas corretamente.

            54-mewtwo-ex  Conhecer as decklists e ter noção da quantidade de cada carta usada nas mesmas, também ajuda. No Nacional de 2013 eu estava jogando de Big Basics (Landorus EXTornadus EX/ Mewtwo EX). Abri de Landorus EX e meu oponente de Terrakion. Apareceram Landorus EX, Tornadus EX e Bouffalant na mesa do oponente e nada de Mewtwo EX. Cogitei a possibilidade de ir pra cima com Scramble Switch para montar um “Super” Mewtwo EX, mas era arriscado, vai que ele usava apenas 1 ou 2 cópias, aguardando somente para dar o contra golpe? Entretanto, apareceram mais 2 Terrakions na mesa dele, então tive a certeza de que não haveria espaço no deck dele para um Mewtwo EX e então usei Scramble Switch para fazer um Mewtwo com 5/6 energias e abrir vantagem.

ADMINISTRANDO RECURSOS

           84-professor-juniper     Uma coisa que eu vejo muitos jogadores iniciantes fazendo é utilizando cartas sem necessidade. Você pode usar um Supporter por turno, mas não é obrigado. Já vi casos e casos onde o jogador perdeu por usar uma Professor Juniper e ficar sem cartas no deck. Ou então usar a Professor Juniper e descartar muitos outros Supporters (tendo N e Colress na mão para embaralha-los de volta no deck) e acabar ficando sem mais Supporter para o restante da partida. É importante reconhecer se há realmente a necessidade de se utilizar determinada carta ou guardá-la para um uso posterior ou ainda, utilizar-se de outras opções.

               De forma geral, se sua mão contém Professor Juniper e outro supporter de embaralhar, dá-se preferência pelo de embaralhar para que não sejam “gastos” dois supporters no mesmo turno.

Exceções ocorrem quando:

– O supporter de embaralhar é N e você tem poucos prêmios;

– O supporter de embaralhar é N e seu oponente aparenta não ter nada na mão;

– O supporter de embaralhar é Colress e há poucos Pokémon no banco;

                No caso de haver um supporter de embaralhar e um de compra direta (Cheren ou Bianca), dá-se preferência pelo de embaralhar, pois a probabilidade das cartas que você comprar serem embaralhadas de volta é grande. As exceções são as mesmas que antes.

               Usar cartas “sem necessidade”, também é importante. Se desfazer de cartas inúteis na partida é essencial para que você não fique com aquela carta, no deck ou na mão, que não irá te Black_2_White_2_Akuromaauxiliar, aliás, irá te atrapalhar. Isto é mais crítico quando se está ganhando o jogo, sendo necessário “filtrar” o deck e a mão o máximo possível, se preparando para um N late game (de 1 ou 2 cartas). O meio mais fácil de se fazer isso é utilizar-se de Battle Compressor para descartas cartas inúteis e/ou usando cartas de busca (Ultra Ball, Energy Search), minimizando o número de cartas que podem voltar ao deck.

             Claro que tudo isso é de forma geral, cada situação é diferente e deve ser analisada cautelosamente para a tomada de decisões.

RECONHECENDO ERROS

             Pequenas tomadas de decisão podem comprometer o curso de uma partida. Jogar a carta errada na Ultra Ball, promover o Pokémon errado apos um ser nocauteado, ligar energia errada, jogar cartas na ordem errada, dentre outros. De uma forma geral, seguem algumas dicas para minimizar erros:

– Cartas de compra direta (Cheren, por exemplo), tem prioridade de uso, afinal, com as cartas que você comprar, sua estratégia pode mudar;

– Buscas no deck vêm logo em seguida, preferencialmente àquelas as quais não descartam (Level Ball, Energy Search), a fim de verificar se a carta desejada está no deck, sem gastar recursos;

Skyla deve ser usada após as cartas de busca ou quando se tem certeza de que o Trainer desejado não está nos prizes;

– Energias e Habilidades costumam vir logo atrás, seguido de um possível recuo;

– Ataque ou passe.

             Sempre que ocorrer um nocaute inesperado por parte do oponente ou uma virada na partida, repense nas suas jogadas e veja se não houve alguma jogada que evitaria tal situação. Um bom exemplo que vi, ocorreu no Regional de São Caetano:

           “O jogador de Empoleon iniciou a partida contra um deck de Big Basics. Abriu de Piplup contra Terrakion, ligou energia, Silver Bangle e passou. O oponente usou Ultra Ball, pegou Mewtwo, deu Switch, ligou D.C.E e nocauteou o Piplup, levando a energia e o Silver Bangle para o descarte, impedindo a evolução para Empoleon, dificultando bastante a vida do jogador.”

Piplup_by_FanPikachu - Copy

          Nesta situação, o mais correto seria não ligar nada no Piplup. O oponente seria forçado a usar Laser/Virbank para o nocaute e existiria a possibilidade de se montar Empoleon. Além disso, não teriam sido jogados fora a energia e o Silver Bangle (recursos escassos no deck de Empoleon).

TREINANDO

          Professor_Sycamore_XY   Como disse na primeira parte, só se aprender a andar de bicicleta pedalando. Para minimizar os erros durante uma partida importante (de um campeonato), deve-se sempre treinar. Procure amigos mais próximos e formem um grupo de treino. É comum na comunidade a existência de times, os quais discutem estratégias, decks, treinam e emprestam cartas.

             A parte boa, é que além de ter sempre um parceiro para jogar/treinar, vocês podem dividir os gastos com as cartas menos usadas e/ou as mais caras a fim de sempre terem a possibilidade de montar a maioria dos decks do formato, revezando o uso das mesmas.

A metodologia de treino que costumo utilizar é resumida a seguir:

– Levantamento dos decks presentes no metagame;

– Análise teórica de quais decks tem vantagens sobre quais decks;

– Busca e desenvolvimento de decklists para cada deck analisado;

– Montagem dos decks analisados, a maioria com o uso de próteses;

– Treino com tempo cronometrado.

    476400-new_style_professor_ivy_by_comfycushion87_d3bi575           Costumo priorizar o deck que pretendo usar, jogando contra as piores partidas possíveis. Não é produtivo ficar jogando partidas as quais você já sabe como jogar e/ou tem grande vantagem. O ideal é utilizar o tempo para testar as partidas contra decks cuja vitória é incerta. Obviamente, se você está treinando contra uma partida difícil, seu colega de treino está jogando uma partida fácil. Por isso recomendo revezar um pouco.

           Outra dica que deixo aqui, é jogar pelo menos uma ou duas partidas com cada deck montado, a fim de se familiarizar com a estratégia dos decks que você possivelmente enfrentará. Assim, quando enfrentar o deck, saberá o que o oponente irá fazer e poderá se preparar melhor durante os primeiros turnos.

Play!_Pokémon_logo

                  E assim termina a segunda parte deste artigo. Espero que eu tenha conseguido compartilhar um pouco da minha experiência neste cenário. Dúvidas, sugestões e comentários podem ser deixados logo abaixo.

Matéria Publicada Originalmente em Let’s Collect New’s

Anúncios